quinta-feira, 30 de junho de 2016

artista do arame


O plano foi bem estudado antes de ocupar a função ministerial. Ele queria ocupar e não fazia sentido se não fosse Dr. Não teria tanto sainete se lhe chamassem apenas pelo apelido, e por isso era essencial ter o tal canudo. 
Traçou o plano e, mesmo assim, nem num vulgar domingo conseguiu safar-se. Pelo que consta até obteve belas notas em disciplinas que já não constavam da espécie de curso...
Não ter canudo não é um drama, mas é dramático ser apanhado nesta artimanha...esta peça é digna de quadro de honra.

3 comentários:

500 disse...

O sôr Relvas, como antigo dirigente de um grupo folclórico, foi um pouco descuidado, mas como é que podia saber que as cadeiras em que teve aprovação, para além daquelas de artigos do jornal da sua terra, não faziam parte do curso?

Rogerio G. V. Pereira disse...

É pá, esquece essa tourada
Quando a decisão se dá anunciada
Já está noutra
E esta já não conta

maceta disse...

500

pois claro, se até essa universidade não sabe que as cadeiras já não existem, está tudo dito...
agora o man podia ao menos ir às aulas, estudar e fazer os exames ou participar no programa das novas oportunidades.
COF...