quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

o sinistro


"Nem Salazar se atreveu a tocar no feriado de 5 de Outubro" - M. Alegre - Curiosamente até agora nenhuma reacção se notou contra este "gesto" intencional de acabar com este feriado ou mudá-lo para um domingo. Na opinião do sinistro Relvas este feriado tem sido um dia de discursos chatos... mas, o homenzito parece não entender o que ele significa ou confundiu-o com um 28 de Maio.

5 comentários:

Pata Negra disse...

O senhor Miguel não tem formação ou condição humana para compreender a razão de qualquer um dos feriados, seja ele civil ou religioso. Este ano são quatro, para o ano serão mais. Talvez ele acabe a reclamar que o dia de Carnaval deve ser feriado.
E volto à minha: se o estado é laico, não tem razão de ser o descanso de domingo - aliás, para cada vez mais trabalhadores, já não o é!

Um abraço por um sociedade de futuro

O Puma disse...

Se esta pandilha continuar no poder

um dia os que tiverem trabalho

terão como horário - sol a sol-
Feriados? Só no dia das urnas

O Guardião disse...

Relvas é o comissário político imposto a Passos Coelho, não fosse ele ter uma recaída e viesse pedir desculpas aos portugueses por os ter enganado antes de ser eleito.
Cumps

500 disse...

Há que ter o cuidado de rever o texto antes da sua publicação, já que ministro se escreve com 'm' e não com 's'. Isto, claro, antes do novo Acordo Ortográfico, que agora já nem sei. Eu, se fosse sinistro deste governo (f....-se) acabava com domingos, feriados, dias santos e santificados, férias pagas (a que propósito?) e essas merdas todas. E mais: o horário de trabalho (para quem o tem, o trabalho) devia ser alongado até às 10 horas diárias, pelo menos, 7 dias por semana. É que enquanto se está a trabalhar não se pensa em gastar o dinheiro que não há.

mfc disse...

Estes tipos são um autêntico desastre!