quarta-feira, 21 de setembro de 2016

o desobrigado



Todos sabemos que esta vivalma sempre foi dedicada à cultura. Lembremos que a sua primeira ligação a eventos culturais aconteceu,  como PM,  numa ida ao Casino Estoril. Pouco tempo depois surgiu num teatro onde exibiu as suas qualidades canoras entoando um lindo ló, ló, ló... enfim, um exemplar que se identifica com  o saber. Ao ser convidado por aquele passado dos carretos, o seu ego cresceu como a rã. Pensou: " aqui está uma oportunidade para brilhar, eu que tenho montes de classe...".
Quando percebeu que o conteúdo metia cus, ala que se faz tarde, para não se chamuscar  mais do que já está. Numa saída de mestre pediu ao passado dos carretos para o desobrigar. Estás feito ao bife...

3 comentários:

Zé Povinho disse...

A abordagem à Cultura porparte do láparo começou com As Doce, e acabou por dar raia, porque ele é mais adepto do Saraiva, mas como as coisas aqueceram, e o fogo lhe chegava aos fundilhos, acabou por sair pela esquerda baixa, sem honra nem glória...
Abraço do Zé

500 disse...

Ele não pensa; sonha.
Pensou, dormindo, num brilharete cultural-literário, mas alguém o acordou e estremunhado lá concordou em pedir escusa, já que sentiu o o buraco traseiro a querer largar um odor pouco simpático para o olfacto dos circundantes.

Rogerio G. V. Pereira disse...

Escreve o Diabo a direito por linhas tortas
Nunca esperava tal publicidade o Saraiva
e a editora já faz contas ao que arrecada
Quanto ao cadáver político
cumprida a negação
receberá gorda comissão

(o segmento de mercado do livro aproxima-se da audiência máxima da "casa dos segredos". Duvidas?)