quinta-feira, 14 de maio de 2015

o pernicioso


Trata-se efectivamente de ideologia esta fobia que o pernicioso tem pelas empresas públicas. Nos miolos tem uma convicção : leiloar  todas as empresas e os bens do Estado, despindo-o completamente até à nudez da pobreza. E esta ideologia tem uma ligação a um extremo político. É mesmo uma opção política, mas, cuidado, os valores do Estado não são propriedade do partido dele...
 A todo o vapor, o pernicioso vai ainda tentar fazer a liquidação total com saldos à mistura, receando que não haja outra oportunidade futura.
O tempo deste governo devia acabar em junho, mas a mão de um silva prolongou-lhe mais um bafo de vida, talvez para  fechar a comissão liquidatária.
Isto resolvia-se muito bem, bastaria que os bens fundamentais do Estado fossem impedidos de ser alienados por lei - pela Constituição. 
Ficamos sem remédio, sem as empresas, sem as instituições, sem os bens e sem o dinheiro resultante do "produto" das vendas, o que evidencia um "crime" nacional. 
Este pernicioso devia ser julgado até ao tutano, como ele próprio sugeriu no início do mandato...não só nas urnas, mas no parapeito do tribunal.