segunda-feira, 3 de março de 2014

o cheira-cus


Passaram já muitos anos, era mais uma RGA no átrio de engenharia e lá estávamos nós em alarido. Foi antes do 25, tempo cinzento, em que proliferava gente cinzenta, que por sinal, se mantem ainda hoje... o homem andava sempre atrás do director, razão porque foi apelidado com razão por "cheira-cus". Óbvio. Um tipo que anda sempre atrás do traseiro de alguem com ar submisso só pode ter mesmo essa alcunha... 
Numa dessas atribuladas reuniões, os ânimos exaltaram-se, houve insultos ao director e o subjugado cheira-cus tomou logo a defesa do seu amo, de forma agressiva, escudado que estava pelo poder. Teve azar, levou com um caixote do lixo nos cornos e acabou-se a discussão...
Um cheira-cus não passa disso mesmo.

3 comentários:

Rogerio G. V. Pereira disse...

Este "senhor"
merecia era um contentor

Ele, o patrão
e os que para lá estão

jrd disse...

Eassa foi boa! Nunca o dito caixote foi tão bem utilizado...

O Puma disse...

Onde estão hoje os caixotes?